sábado, 20 de dezembro de 2008

Papai Noel existe?


Tenho lido opiniões as mais diversas sobre a fábula de Papai Noel. Perguntei a algumas pessoas, de idades diferentes, crenças e formação pessoal o seguinte:

A crença em Papai Noel é saudável, negativa, ou não tem qualquer relevância na mente e psicologia das crianças?

Muitas destas pessoas disseram que Papai Noel como todo o Natal não passam de puro comércio.
Há quem alegue motivos religiosos para não participar dessas comemorações, com o argumento de que se trata de uma festa pagã. Há aqueles também que fazem do Natal pura troca de presentes e bebedeira, sem nenhum outro tipo de motivação.

Outros vêm na ocasião uma boa oportunidade de reunir toda a família em volta da mesa, mesmo que apenas por um dia.

Entre todas as respostas que obtive, destaquei uma de uma senhora já vovó que dizia:

“Querido Carlos!
Esta é uma pergunta que eu não sei responder! Posso dar minha opinião:

Várias histórias contadas às crianças pequenas constituem ensinamentos sobre a vida que elas irão enfrentar. É importante desenvolver a imaginação dos pequeninos pois ocorre uma mobilização do sistema pensante.
A "fantasia" tem papel importante neste conhecimento do mundo real. Por isto as crianças gostam tanto de brincar, imaginando que um objeto é um avião, que uma bonequinha é uma filhinha, etc.

Do ponto de vista cristão (meu, em particular), creio que não se deve atrelar a crença em Papai Noel ao nascimento de Jesus. Para as crianças cristãs, é lógico, a história deve ser contada de maneira verdadeira, sem usar fantasias. E, o Papai Noel, mais como uma brincadeira, uma fantasia que deve ser desvendada logo que a criança atingir certa idade. Mas... cá no fundo mesmo... não dá pra engolir o Papai Noel! Mas que pergunta jóia, meu querido Carlos! Um grande abraço!”

Um dia eu também acreditei em Papai Noel e não me arrependo disso. Mesmo nos Natais que não ganhei presentes, ou não foi possível comprar o que eu desejava, o resultado final sempre foi alegria no convívio com a família.

Respeitando todas as opiniões e crenças religiosas; o sentido de “acreditar” em Papai Noel vai bem além do significado literal da palavra. Se emprestarmos a ela o significado de se permitir sonhar, somar esperanças, aguçar e desenvolver nossa imaginação, como diz a vovó acima, então não importa que seja apenas por um dia.
Cada minuto é valioso e tempo precioso para ser Sempre Criança e jamais deixar de ser feliz.
video

3 comentários:

Lia disse...

Olá Poeta!
Não há como ser negativa essa magia que é o natal, a espera inocente e feliz das crianças pelo Papai Noel...é uma fantasia doce, singela...vamos poupar nossas crianças dessa realidade cruel, vamos preservar a inocência e o direito ao sonho, ao lúdico. Eu tbem já acreditei em Papai Noel, e lembro com carinho e saudade dessa inocência, mesmo não ganhando presente tbem, como vc falou eu era muito feliz.
Ha! Antes q eu me esqueça...
FELIZ NATAL POETA!

Samelly Xavier disse...

Carlinhos!!!!!!!!!!! Eu nem sabia qeu tu tinha feito o blog aqui também. Vou adicioná-lo a minha lista de favoritos, faz o mesmo aí.

Beijão recitado e saudades

Mariete disse...

na verdade mesmo aqueles q perderam essa ilusão por conta dos problemas da vida, gostariam com certeza de ter de volta essa inosencia,como por o sapatinho na janela,escrever uma cartinha,achar q papai noel vai chegar pela chaminé!amigo doce ilusão um beijo querido fika na paz.